MyPartner Brazil

Conectamos Brasileiros com Brasileiros nos EUA

 

O MyPartner Brazil é o primeiro portal e aplicativo voltado a auxiliar a comunidade brasileira nos EUA na contratação de serviços. Ele nasceu da vontade de juntar os brasileiros que moram aqui com os melhores prestadores de serviços que falam português e entendem as necessidades da comunidade. Profissionais poderão se cadastrar gratuitamente na plataforma e usar o MyPartner Brazil para captar clientes e ampliar seus negócios. Clientes também terão acesso gratuito ao portal e aplicativo para buscar todo tipo de profissional, incluindo consultores, decoradores, babás, eletricistas entre outros. Tudo em português e concebido especificamente para os brasileiros que vivem nos EUA.

O site www.mypartnerbrazil.com já está aceitando cadastro de profissionais e clientes, e a previsão da data de lançamento é Junho de 2019.

Silvio Perissinotti, CEO da empresa, e Maria Claudia Laborne, diretora de marketing e recursos humanos, contam nesta entrevista alguns detalhes sobre o ``marketplace’’ que promete facilitar a vida dos brasileiros e fortalecer a comunidade nos EUA.

ANTES DE FALARMOS DO MY PARTNER BRAZIL, CONTE-NOS COMO FOI A TRAJETÓRIA PROFISSIONAL E EMPREENDEDORA DE VOCÊS NO BRASIL?

Perissinotti: Eu trabalhei durante 20 anos empreendendo na área de tecnologia no Brasil. Tive uma empresa especializada em identificação digital e prevenção de fraudes em concursos públicos, a IMPRESS. Em 1995 vim buscar aqui nos EUA a tecnologia capaz de reconhecer pelas impressões digitais os candidatos em concursos públicos e vestibulares. Tive contratos com fundações de renome como a Fundação Cesgranrio e a Fundação Carlos Chagas, responsáveis pelos grandes concursos, bem como com universidades públicas e particulares.

Laborne: Sou formada em psicologia e tenho um MBA em gestão de pessoas. Trabalhei por mais de 10 anos na área de recursos humanos em grandes empresas no Brasil. Tive também a oportunidade de atuar em marketing e relacionamento com o cliente em uma multinacional da área de seguros. E depois que cheguei aqui, em 2016, fiz uma formação em life coaching. Conseguimos unir os dois lados, o Silvio com a tecnologia e eu com o RH e marketing. 

POR QUE DECIDIRAM MUDAR E EMPREENDER NOS EUA?

Perissinotti: Com o início da crise em 2014, as empresas organizadoras de concurso foram sofrendo pressão para cortar custos. O mercado foi diminuindo e minha empresa perdeu muitos contratos. Além disso, a justiça volta e meia proibia a identificação digital em concursos, argumentando que era um tipo de identificação criminal e que causaria constrangimento aos candidatos. O ambiente de negócios no Brasil se deteriorou muito e tomei a decisão de sair do Brasil e buscar novos projetos aqui nos EUA.

QUE DESAFIOS ENCONTRARAM QUANDO SE ESTABELECERAM NA FLÓRIDA, NA HORA DE CONTRATAR UM PROFISSIONAL PRESTADOR DE SERVIÇO?

Laborne: Nós tivemos dificuldade de encontrar profissionais que nos compreendessem. O trato com corretores, contadores e outros profissionais não foi fácil no início. Nós estávamos construindo toda uma nova vida aqui. Como somos estrangeiros, a relação é muito diferente do que se estivéssemos negociando um serviço com um brasileiro. Eu percebi isso muito claramente na área médica: depois que me mudei para Miami, passei por vários médicos tentando chegar a um diagnóstico de um problema de saúde, e no final foi um médico brasileiro que descobriu o que eu tinha. 

Perissinotti: Eu tive uma experiência de um negócio que saiu mal feito por conta de um problema de comunicação. Eu precisei de um consultor financeiro para me orientar em um negócio e não recebi uma boa orientação. Isso ocorreu, em parte, por causa da dificuldade na comunicação. Tem muito termo técnico nesse tipo de conversa, e às vezes o americano está falando uma coisa e não é bem aquilo que você acredita estar entendendo.

COMO SURGIU A IDEIA DO NEGÓCIO?

Laborne: Estávamos em um voo vindo de Nova York e o Silvio deu uma cochilada. Quando acordou, ele me disse: ``Tive uma ideia. Nós já estávamos aqui há uns dois anos, pensando em criar um negócio. Como a grande maioria na comunidade brasileira aqui, nós viemos com a certeza de ficar, mas também querendo pensar em um projeto que melhorasse não só a nossa vida, mas também a vida de outros brasileiros à nossa volta. A nossa ideia desde o início foi conectar e unir a comunidade. E, frente à nossa própria dificuldade em encontrar profissionais com quem tivéssemos uma afinidade cultural, começamos a pensar em algo que pudesse conectar melhor os brasileiros aqui.

Perissinotti: Quando nos mudamos, tivemos que resetar a nossa vida, começar tudo do zero: casa, atividades, círculo de relacionamentos pessoal e profissional. E essa adaptação foi ainda mais difícil por causa das dificuldades em encontrar profissionais para nos ajudar em várias áreas da nossa vida. Fiquei sonhando com uma maneira de unir a comunidade brasileira aqui para que todos pudessem se ajudar: as pessoas que, como eu, desejam contratar consultores, contadores, cozinheiras, eletricistas brasileiros, e os prestadores de serviço que fazem parte da comunidade.

O QUE É O MYPARTNER BRAZIL? COMO FUNCIONARÁ A PLATAFORMA?

Perissinotti: O MyPartner é um site e aplicativo que permite que brasileiros encontrem profissionais e prestadores de serviço que falam a sua língua, literalmente. Nele, o profissional pode se cadastrar e receber as ``indicações’’ de clientes que buscam exatamente o serviço oferecido. O profissional irá pagar pelas indicações e investir nos clientes que interessar a ele. A partir daí poderá negociar livremente os detalhes do serviço com os clientes. Os usuários não pagam para acessar a ferramenta. A ideia é que o cliente receba até três indicações de profissionais para conversar.

COMO O MYPARTNER AJUDARÁ PRESTADORES DE SERVIÇO BRASILEIROS A TEREM MAIS NEGÓCIOS JUNTO À COMUNIDADE?

Laborne: Criando um espaço para esses profissionais promoverem os seus serviços para clientes que estão justamente buscando o que eles oferecem. Muitos profissionais brasileiros não anunciam de forma ampla os seus serviços. A comunicação muitas vezes é feita através de redes sociais ou grupos de amigos. Com o MyPartner, os profissionais vão poder se cadastrar e atingir uma base muito mais ampla de clientes em potencial.

VOCÊS CONTARAM COM PARCEIROS PARA AJUDAR A DESENVOLVER E IMPLANTAR O MYPARTNER BRAZIL?

Perissinotti: Aqui nos EUA temos um gerente de TI que cuida da parte de tecnologia e temos uma equipe de pessoas cuidando da área de marketing. Eu e Maria Claudia fazemos a coordenação estratégica e de marketing. E temos equipes terceirizadas no Brasil: a equipe de produção de conteúdo e estratégia que está em São Paulo e faz parte de uma empresa de marketing digital; e a equipe de desenvolvimento da plataforma, também de São Paulo. É um negócio muito complexo, pois a tecnologia necessária é bastante sofisticada e cara.

A PLATAFORMA É SOMENTE PARA BRASILEIROS QUE VIVEM EM MIAMI?

Perissinotti: Não, e essa é a beleza do meio digital. A nossa plataforma não tem limites geográficos. O que impede um cliente em Boston de contratar um profissional que está aqui em Miami para fazer um ``job’’ para a sua startup? Nada! Profissionais brasileiros em qualquer lugar dos EUA vão poder se cadastrar no MyPartner Brazil e oferecer seus serviços. 

Laborne: É importante enfatizar isso, a nossa plataforma é ampla, justamente por que nós percebemos que os grupos de networking e grupos espontâneos em redes sociais onde há essa troca de informação são normalmente restritos a comunidades com limites geográficos bem definidos. Não existe nada mais amplo. 

É POSSÍVEL PARA UM PRESTADOR DE SERVIÇO TESTAR A PLATAFORMA?

Laborne: Sim, nós estamos oferecendo um período de teste para os Profissionais entenderem como funciona a nossa plataforma.

QUAIS SÃO OS PLANOS PARA O PORTAL?

Perissinotti: A nossa ideia é atuar em locais onde a comunidade brasileira seja expressiva, como no Japão, Reino Unido e Austrália. O nosso negócio é digital, podemos estar em qualquer lugar. 
 

Entrevista Realizada pela Jornalista Adriana Brasileiro